Pular para o conteúdo principal

Zezé di Camargo, o que nunca houve foi uma democracia de fato!

Zezé di Camargo, que se não bastasse ser um cantor ruim de um estilo de música ainda pior, se meteu a falar de política, talvez fingindo s tornar um cantor politizado e soltou uma imensa besteira: disse que no Brasil "não houve uma ditadura". Declaração e repercussão neste link.

O Zezé di Camargo, nascido Mirosmar José de Camargo, merece umas palmadas. Na bunda, pois na cabeça poderia piorar o que já parece ter sido danificado. Poupemos o cascudo na já danificada cabecinha do cantor. Por ser integrante de uma elite, incorporou para si os preconceitos desta elite e construiu as suas convicções com base nestes preconceitos.

O que o cantor breganejo golpista e aecista precisa saber é que a ditadura militar era de fato uma ditadura, encomendada pelos EUA, que queriam a todo o custo impedir o Brasil de ameaçar a hegemonia estadunidense n mundo.

Não sabe o cantor que nunca tivemos uma democracia de fato. O que tivemos foi ensaios de democracia. E todos os verdadeiros democratas foram depostos, de uma forma ou de outra. Liberdade para o povo, só a conta gotas, sem prejudicar a ganância das elites abastadas.

Sabe o que é democracia, Mirosmar José de Camargo? É quando as leis existem para proteger os interesses de uma maioria carente, em que os bens e direitos são equilibrados para que os ricos não tenham muito e os pobres tenham um pouco mais. É quando a soberania de um país é respeitada e as coisas acontecem em favor da coletividade e não de classe x ou y.

A sua "democracia" tucana tem o interesse claro de limitar direitos aos mais ricos, como você, Mirosmar, além de entregar a estrangeiros as maiores riquezas do país e as decisões mais importantes para a sociedade brasileira.

Interessante, Mirosmar, é que você cita como "ditaduras", governos de esquerda, seguindo aquela ideologia idiota que diz que "esquerda é sinônimo de ditadura" e "direita sinônimo de democracia". Como definir como democrático um sistema onde apenas uma classe, a dos ricos, Mirosmar, é beneficiada?

Governos de esquerda, mesmo cometendo erros, demonstram alguma preocupação social. E ditaduras de esquerda não são totalmente de esquerda, mostrando falha ideológica de quem quer ser autoritário em nome dos ideais progressistas.

Mirosmar, a direita é egoísta, gananciosa, retrógrada e odeia progresso. Não dá para ser democrático em sistemas onde uma minoria que se acha melhor que as outras pessoas tenha a exclusividade de vários direitos. 

Você, Mirosmar ou Zezé, como queira ser chamado, falou uma besteira, demonstrou falta de conhecimento político e ainda sabemos de que lado você está. Do lado dos que defendem a democracia você não está mesmo! Afinal, você e sua família lutaram para destruir a democracia!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Hino Nacional e a realidade do Brasil

O Hino Nacional Brasileiro, apesar de não ser o nosso primeiro hino, é muito antigo. A sua rebuscada letra já não está de acordo com a realidade do país.

Mas com o hábito que o brasileiro herdou do catolicismo de divinizar os símbolos pátrios (a "seleção" também?), ele não pode mais ser mudado, já que a população não quer, talvez por pensar que "foi Deus" quem definiu os símbolos pátrios de nosso país e sua divisão territorial.


Hoje, no Dia da Pátria, resolvi analisar a letra do Hino e comparar o que aparece em seus versos, ao cenário atual de nosso país, mostrando que um de nossos maiores símbolos cívicos, por mais admirável que seja, está completamente fora da realidade que vemos em nosso dia a dia.

Hino Nacional Brasileiro

Letra de Joaquim Osório Duque Estrada (1870 - 1927) e música de Francisco Manuel da Silva (1795 - 1865)

Ouviram do Ipiranga as margens plácidas / De um povo heroico o brado retumbante - De "brado retumbante", a população bras…

Sandy faz parte do "sertanejo universitário"

Ao entrar esta semana na filial perto de minha casa das Lojas Americanas, estava rolando no áudio da mesma o CD ao vivo de Paula Fernandes. Gente, é impossível não lembrar do cd de estreia da carreira solo de Sandy, filha "artística" de Chitãozinho e Xororó (e filha biológica do segundo).

Sandy espalhou para Deus e o mundo que sua carreira solo seria mais "autônoma", "independente", dando a entender que seria mais "intelectualizada" e "anti-comercial". Mas como a fruta não cai longe do galho, o DNA brega não conseguiu ficar calado e aparece na forma de vibrato na voz da bela cantora.

E o fundo de roquinho usado como base instrumental das novas músicas da Sandy, rapidamente rementem a urbanização da música breganeja conhecida como "sertanejo universitário" (que nada tem de sertão e muito menos de universitário - esta palavra deve estar sendo utilizada como eufemismo de "burguês" ou no sentido de "urbano", par…

A hipocrisia humana em prol das vítimas do acidente com a Chapecoense

Quando uma tragédia gera comoção coletiva intensa - muito graças a um constante estimulo midiático - um exército normalmente ausente em momentos mais urgentes começa mostrar a sua cara forjando uma preocupação social que costuma não ser manifestada.
Um monte de pessoas começou a postar mensagens e mais mensagens sobre a tragédia com os vitimados do citado acidente. As mensagens claro, são muito bem vindas, a gente entende, mas percebendo com atenção a origem de várias mensagens, nota-se que veem justamente de quem não costuma ser solidário de fato com a espécie humana.
Na verdade - embora não sejam todos os casos, mas grande parte deles - se tratam apenas de uma forma de dizer "eu sou bondoso", de usar a tragédia para promoção pessoal, para forjar uma preocupação social, vinda de gente que não mexe um centavo de seu patrimônio para eliminar as desigualdades no Brasil. 
Vários deles fazem parte da elite direitista que apoia as desigualdades, xinga os verdadeiros benfeitores …