Pular para o conteúdo principal

O casamento de Temer mostra muito de seu caráter

Michel Temer, quase 80 anos de idade, nunca foi um homem carismático. Com voz antipática, embora polida, nunca passou de um figurante na política, só tendo destaque após o golpe que as forças aliadas a ele se empenharam a fazer. 

Sabe-se que o verdadeiro golpista foi Aécio Neves, que não aceitou a derrota nas eleições de 2014, já que se comprometeu com empresas estrangeiras a vender o petróleo localizado na camada do Pré-Sal, algo que um governo progressista como o de Dilma nunca iria fazer. 

Mas para dar aparência de legalidade, Aécio teve que aceitar o vice de Dilma, Temer, na presidência e orientá-lo sobre o que deveria ter feito. não por acaso, Aécio esteve na posse e conversou muito com Temer nos primeiros dias de instalação dos golpistas, que alteraram tudo, de símbolos a leis, algo proibido a um governo instalado após impedimento.

Hoje, um ano após o golpe que tirou uma presidente honesta para satisfazer os interesses dos donos das maiores empresas do país, interessados em aumentar os lucros as custas do sofrimento do trabalhador, a imagem de Temer se deteriorou definitivamente. O governo dele se tornou insustentável. O homem mais odiado do país aguarda a autorização dos maiores empresários do país para deixar o governo.

Mas um detalhe que parece pequeno mostra muito bem o caráter de Michel Temer: o seu estranhíssimo casamento com Marcela Temer, 43 anos mais nova que ele e que para agravar, aparenta menos os 34 anos que tem. Quem vê os dois juntos percebe o choque de gerações entre os dois. É um casal horripilante de tão contrastante. Se não bastasse o choque de personalidade entre duas pessoas de épocas totalmente diferentes.

Bom lembrar que quando Marcela nasceu (curiosamente no mesmo 1983 em que nasceu Sandy), Temer já não era mais jovem. Marcela nem existia quando Temer tinha a idade atual dela. Quando Marcela se tornou adulta, Temer já era um idoso daqueles que andam de bengala. Não dá para considerar um casal como este como "normal". Alguma coisa existe por trás da formação de um casal assim.

Casamento do século XIX

As atitudes de Temer mostram um homem do século XIX que entrou na máquina do tempo e veio viver nos dias de hoje. Até mesmo o seu casamento tem características do século XIX. Era comum homens velhos ricos comprarem jovens das famílias delas para serem suas mulheres, como integrantes de seus vastos patrimônios, como um carro novo. 

Até hoje, muitos grandes empresários idosos continuam a comprar mulheres jovens, não mais adolescentes para não pegar mal, mas em geral mulheres no começo dos 30 anos, faixa etária que representa o auge da beleza feminina nos dias atuais. O hábito do cachimbo faz a boca torta, o que faz com que muitos velhotes ricos nunca tomem vergonha na cara.

Dizem que ele "comprou" Marcela ainda adolescente. É um boato, uma lenda, mas vendo a falta de qualidades de Temer, que além de corrupto, é feio e antipático, faz bastante sentido. De fato, Marcela não passa de uma menina que Temer pegou para criar e que ele, sem qualquer tipo de pudor, a chama de "esposa". Aliás curioso ver um homem que quer acabar com a previdência social se casar com uma jovem. Ele deve odiar pessoas idosas, inclusive ele mesmo.

Se Marcela tivesse se casado com, por exemplo, o humorista e entrevistador Jô Soares, quase da mesma idade de Temer, ainda seria aceitável a tese de que o casamento era por amor, pois Jô é simpático, inteligente e bem humorado, uma pessoa com qualidades marcantes de personalidade e que consegue despertar afeto em outras pessoas, do contrario que o sisudo Temer.

Não sei bem o que passa na cabeça de Marcela. Tenho a certeza de que ela não é feliz. Além de ser uma jovem bonita casada com um Matusalém, este velho ainda está envolvido em uma série de escândalos faraônicos e é hoje o homem mais odiado do país. 

Marcela entrou em um túnel sem saída. Arruinou a sua juventude em troca de dinheiro, luxo e poder. Poderia ter se casado com alguém de sua idade e mais honesto e modesto. Teria sido muito mais feliz se tivesse feito esta escolha. Mas agora é tarde. 

Resta contar os dias para que Temer encerre a sua vida carnal e Marcela possa recuperar a juventude perdida, mesmo não sendo mais tão jovem na ocasião. A vida carnal, pois a vida política, ele acabou de encerrar desde ontem, com o escândalo da JBS. Encerrada de forma mais do que melancólica. 

Não há como amar de verdade um traste como Temer. Nem mesmo sendo a sua jovem concubina.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Hino Nacional e a realidade do Brasil

O Hino Nacional Brasileiro, apesar de não ser o nosso primeiro hino, é muito antigo. A sua rebuscada letra já não está de acordo com a realidade do país.

Mas com o hábito que o brasileiro herdou do catolicismo de divinizar os símbolos pátrios (a "seleção" também?), ele não pode mais ser mudado, já que a população não quer, talvez por pensar que "foi Deus" quem definiu os símbolos pátrios de nosso país e sua divisão territorial.


Hoje, no Dia da Pátria, resolvi analisar a letra do Hino e comparar o que aparece em seus versos, ao cenário atual de nosso país, mostrando que um de nossos maiores símbolos cívicos, por mais admirável que seja, está completamente fora da realidade que vemos em nosso dia a dia.

Hino Nacional Brasileiro

Letra de Joaquim Osório Duque Estrada (1870 - 1927) e música de Francisco Manuel da Silva (1795 - 1865)

Ouviram do Ipiranga as margens plácidas / De um povo heroico o brado retumbante - De "brado retumbante", a população bras…

Sandy faz parte do "sertanejo universitário"

Ao entrar esta semana na filial perto de minha casa das Lojas Americanas, estava rolando no áudio da mesma o CD ao vivo de Paula Fernandes. Gente, é impossível não lembrar do cd de estreia da carreira solo de Sandy, filha "artística" de Chitãozinho e Xororó (e filha biológica do segundo).

Sandy espalhou para Deus e o mundo que sua carreira solo seria mais "autônoma", "independente", dando a entender que seria mais "intelectualizada" e "anti-comercial". Mas como a fruta não cai longe do galho, o DNA brega não conseguiu ficar calado e aparece na forma de vibrato na voz da bela cantora.

E o fundo de roquinho usado como base instrumental das novas músicas da Sandy, rapidamente rementem a urbanização da música breganeja conhecida como "sertanejo universitário" (que nada tem de sertão e muito menos de universitário - esta palavra deve estar sendo utilizada como eufemismo de "burguês" ou no sentido de "urbano", par…

A hipocrisia humana em prol das vítimas do acidente com a Chapecoense

Quando uma tragédia gera comoção coletiva intensa - muito graças a um constante estimulo midiático - um exército normalmente ausente em momentos mais urgentes começa mostrar a sua cara forjando uma preocupação social que costuma não ser manifestada.
Um monte de pessoas começou a postar mensagens e mais mensagens sobre a tragédia com os vitimados do citado acidente. As mensagens claro, são muito bem vindas, a gente entende, mas percebendo com atenção a origem de várias mensagens, nota-se que veem justamente de quem não costuma ser solidário de fato com a espécie humana.
Na verdade - embora não sejam todos os casos, mas grande parte deles - se tratam apenas de uma forma de dizer "eu sou bondoso", de usar a tragédia para promoção pessoal, para forjar uma preocupação social, vinda de gente que não mexe um centavo de seu patrimônio para eliminar as desigualdades no Brasil. 
Vários deles fazem parte da elite direitista que apoia as desigualdades, xinga os verdadeiros benfeitores …